Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Pesquisar

 


Como reciclar calças de ganga velhas

Sexta-feira, 07.06.13

Se as suas calças de ganga favoritas já não estão em condições de as vestir, saiba que não precisa de as deitar fora. Porque não imortalizar a sua peça preferida em outra peça de roupa ou até mesmo num acessório? Só necessita de uma boa dose de imaginação.

De seguida encontrará algumas ideias originais que poderá pôr em prática de forma a reciclar as suas calças de ganga antigas:

Calções

A transformação mais óbvia que pode fazer nas suas calças de ganga antigas é transforma-las nuns calções. Esta transformação é especialmente útil no caso das crianças, que ao estarem em crescimento as suas roupas deixam de servir muito facilmente, no entanto de forma a não deitar fora calças que já não pode vestir, ganha uma nova peça de roupa sem gastar dinheiro.


Do que vai precisar?

Calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha e/ou máquina de costura

Opcional: tachas, renda


 

 


Como fazer?

Marque com a ajuda de uma limha o comprimento que pretende para os seus calções. Podem ser pelo joelho, corsários ou até mais curtos, so depende de si. Depois de marcar o comprimento e tendo atenção para que as duas pernas fiquem com comprimento igual, corte as calças deixando cerca de 1 cm para fazer as bainhas. De seguida coza as bainhas à mão com agulha e linha ou com a máquina de costura e já está adquiriu uma nova peça de roupa.

Dica: pode personalizar os seus calções aplicando tachas nos bolsos de trás, não fazendo bainhas e desfiando a ganga ou aplicando renda nas bainhas.


Saia

Se preferir saias a calções saiba que também pode criar uma a partir das suas calças de ganga antigas.

Do que vai percisar?

Calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha e/ou máquina de costura

Opcional: tecido ou restos de ganga


 

 


 Como fazer?

Se pretender uma saia do comprimento das calças, basta que descosa as costuras interiores das pernas e as una através de restos de ganga ou outro tecido. A saia poderá ser feita com o comprimento que se pretender, basta que para isso corte as pernas das calças à altura que pretender e proceda de igual forma que para uma saia comprida.


Bolsa com bolsos

Se as suas calças se encontram demasiado velhas e gastas poderá aproveitar apenas os bolsos traseiros para fazer uma bolsa de tiracolo.


 

 


Do que vai precisar?

Bolsos traseiros de calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha e/ou máquina de costura

Tecido para as alças

Opcional: Apliques  de renda, flores ou emblemas


Como fazer?

Descosa os bolsos traseiros das suas calças de ganga. Se pretender um acabamento mais perfeito poderá usar um tecido de cetim para forrar o interior dos bolsos. De seguida, una os bolsos cosendo-os em todo o comprimento deixando apenas a parte de cima aberta. Cosa uma alça em tecido ou com restos de ganga e terá a sua mala. Poderá aperfeiçoa-la colocando um embelema ou aplique em forma de flores de forma a dar mais graça à sua mala.


Calças transformadas

Por vezes as calças de ganga até se encontram usáveis, mas já está farto delas. Em vez de as deitar fora, pode transforma-las dando-lhes uma nova cara.

 

Do que vai precisar?

Calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha

Botões, renda ou embelemas

 

Como fazer?

Se tiver um conjunto de botões bonitos que não estejam a uso poderá cose-los nas suas calças de forma aleatória ou dando formas de flores ou árvores, por exemplo, basta seguir a sua imaginação. Se gostar de bordar, também poderá fazê-lo nas suas calças antigas criando assim um modelo original e único.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 17:49

Sugestões criativas para reutilizar louça antiga ou sem par

Sábado, 01.06.13

 Decorar é uma agradável empreitada que aproxima as pessoas da sua habitação.

            Através da intervenção em espaços no interior e no exterior, criam-se casas acolhedoras para os proprietários e, consequentemente, para aqueles que as visitam.

            É sempre um orgulho para um anfitrião poder dar a conhecer o seu “cantinho”, provando os seus dotes de decorador. A imaginação é o grande motor de um bom trabalho de decoração, e são as inúmeras possibilidades de criar soluções personalizadas e originais.

            Uma dessas soluções consiste em conseguir utilizar materiais e objetos que não têm utilidade ou que, por algum motivo, perderam a  função que em tempos desempenhavam.


Colocar os seus pratos sem par numa parede!

             As peças de loiça constituem um exemplo muito interessante e versátil destes casos, permitindo criar ambientes simpáticos e completamente personalizados.

            São várias as finalidades que podem adquirir peças de loiça antigas ou sem o par que as acompanhava ou o conjunto a que pertenciam.

            Uma das possibilidades, aliás já muito conhecida, é reunir conjuntos (não necessariamente numerosos, podendo até utilizar-se uma única peça para o efeito) de pratos antigos e dispô-los numa parede. As áreas mais indicadas para o efeito serão a cozinha, a copa, ou a zona de refeições da sala. A disposição das peças ficará ao critério de cada um: alinhada, em filas, em forma circular, geométrica ou aparentemente aleatória… as peças antigas costumam ter um valor especial, por normalmente terem pertencido à família, ou por terem sido adquiridas em antiquários. A vantagem é a de que estão sempre na moda, são sempre atuais e combinam com a grande maioria das tonalidades das tintas de parede; será necessário ter em atenção no caso de a parede ser revestida com papel de parede: a mistura de padrões pode tornar-se confusa e visualmente pesada.

De resto, o uso das peças de loiça pode perfeitamente aplicar-se para a sua função habitual: servir.


 

 


Criar o seu novo conjunto de loiça

  Por uma questão de preservação, pode optar-se por utilizar as peças antigas em ocasiões especiais/festivas.

  No caso de loiças sem par, criar serviços misturando várias peças diferentes é uma solução muito em voga ultimamente, quer no dia-a-dia, como em jantares de amigos e reuniões mais informais. Com uma toalha de cor lisa (branca, bege ou de um colorido garrido), loiças sortidas, (copos, pratos, travessas, saladeiras), guardanapos de fantasia e um arranjo floral simples, cria-se uma mesa simpática, divertida e cuja originalidade poderá até sugerir um bom tema de conversa entre os presentes.

 Para aqueles que temem ousar e preferem optar por soluções mais sóbrias, é uma boa opção adquirir peças neutras (em armazéns e lojas de decoração costumam vender-se ao quilo ou à peça a preços acessíveis), de uma só cor, por exemplo, que combine com aquelas cujos pares se perderam: por exemplo, pires lisos para chávenas com padrão (ou vice-versa), o mesmo pode aplicar-se no caso de peças de serviços de pratos, conjugando pratos de sopa, refeição e sobremesa lisos e com padrão.


 

 


Como reutilizar os seus copos?

 No caso dos copos transparentes, transformá-los em castiçais é uma outra ideia interessante: basta introduzir-lhes areia, pequenos seixos, berlindes decorativos, ou grãos de café (vai também depender do local ao qual serão destinadas as peças), até metade ou dois terços do recipiente e, por fim, incorporar uma vela tea light, como que parcialmenete “enterrada” no preenchimento escolhido para o copo.

 É também uma opção aproveitar alguns recipientes, nomeadamente copos, para organizar as maquilhagens (pincéis, rímel, lápis,…), havendo hoje em dia tintas próprias para pintar vidro, e com as quais podem personalizar-se as peças.

 Haverá outras utilidades: usar canecas como recipientes para canetas e lápis; canecas de refresco como recipientes de talheres de serviço ou, em canecas deste tipo de tamanho médio/pequeno, usá-las como guardanapeira num centro de mesa de uma refeição ao ar livre; copos como pequenas jarras de flores para animar o lavatório da casa-de-banho, a mesa para o pequeno-almoço ou o móvel do hall de entrada; saladeiras como recipientes para colocar chaves, blocos de notas e canetas numa mesa de apoio.


 

 


           

            A imaginação é sem dúvida o limite para criar soluções decorativas e úteis que marcam a diferença e que ajudam a tornar o dia-a-dia mais leve, mesmo com poucos recursos. Ou seja, não há limites!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 17:39