Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Pesquisar

 


CBD ou Poupança?

Quarta-feira, 21.10.15

Introdução

Pessoas que têm em mãos algum capital e estão procurando alternativas seguras para investi-lo aplicar em renda fixa pode ser uma boa opção.

Renda Fixa é uma modalidade de investimento norteada por taxas pré-fixadas que permitem ao investidor ter uma visão de quanto o seu capital irá render, passado certo período de tempo.

Esta forma de investimento abriga uma série  aplicações entre as quais se destacam o Certificado de Depósito Bancário – CDB – e a Caderneta de Poupança opções que oferecem rentabilidades, vantagens e desvantagens  conforme suas particularidades.

 

Certificado de Depósito Bancário – CDB – Conheça um Pouco Mais

Se você pretende investir em CDB estará simplesmente comprando títulos de créditos emitidos por diferentes instituições bancárias em busca de dinheiro para realizar seus investimentos.

Funciona da seguinte maneira: uma determinada instituição bancária que deseja se capitalizar emite títulos em forma de empréstimo, ou seja, o comprador estará “emprestando” o seu dinheiro recebendo como garantia de pagamento papéis que lhe proporcionarão juros sobre o montante investido.

 

Tipos de Certificado de Depósito Bancário

O Certificado de Depósito Bancário é comercializado nas seguintes modalidades:

CDB prefixado: forma de investimento a partir da qual são comercializados títulos cujas datas de vencimento variam entre 30, 60 e 90 dias sendo que a rentabilidade é previamente definida antes da assinatura do contrato.

CDB pós-fixado: modalidade de Certificado de Depósito Bancário que utiliza como rentabilidade as taxas TR (Taxa Referencial), TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) ou a TBF (Taxa básica Financeira).

CDBs com Swap: tipo de Certificado de Depósito Bancário que utiliza as regras das formas de investimento citadas acima, sendo que a rentabilidade está atrelada á Taxa SELIC aos CDI ou à Taxa de Câmbio.

Se você optar por investir em CDBs com Swap é preciso dispor de um capital mínimo no valor de R$ 100 mil.

 

Caderneta de Poupança

Gosta de poupar dinheiro? A Caderneta de Poupança é uma das formas de investimento muito procurada pelos brasileiros.

Sua rentabilidade ocorre de 30 em 30 dias e está atrelada à combinação do valor da Taxa Referencial (TR) acrescidos 0,5%.

Esta modalidade de investimento conta ainda com um seguro mantido por um Fundo Garantidor que assegura o ressarcimento do poupador em quantias até o valor de R$ 70.000,00, caso a instituição bancária sofra algum colapso financeiro.

 

 

CDB e Poupança Vantagens e Desvantagens

A principal vantagem de se investir em CDB em relação à Caderneta de Poupança fica por conta da maior rentabilidade, pois principalmente bancos de pequeno porte oferecem taxas de rentabilidade bastante atrativas.

Outra importante vantagem diz respeito a rentabilidade e o prazo de investimento, pois quanto mais tempo seu capital ficar investido maior será a sua rentabilidade.

A grande desvantagem de se investir em Certificado de Depósito Bancário é a cobrança de Imposto de Renda em taxas que se iniciam em 22,5% durante seis meses, passado este período há uma redução gradativa até se estacionar em 15%.

Se você realizar um investimento em CDB e necessitar retirar seu capital antes do prazo estipulado há a desvantagem da perda de 96% do rendimento a ser recebido em virtude da cobrança do IOF.

A facilidade de acessibilidade e de aplicação, o baixo risco e a não cobrança de Imposto de Renda são as principais vantagens de se investir na Caderneta de Poupança.

Na Caderneta de Poupança também há a vantagem de se aplicar qualquer valor monetário.

Abaixa rentabilidade e a perda dos rendimentos caso você retire algum valor monetário antes de completar os 30 dias de aplicação são as principais desvantagens de se aplicar na Caderneta de Poupança.

Outra desvantagem de se investir na Caderneta de Poupança é a inflação, pois em períodos nos quais ela está em alta os rendimentos obtidos não correspondem ao ganho real.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 12:44

Dicas para poupar dinheiro na pintura da casa

Quinta-feira, 11.07.13

Quando vamos decorar ou reformar uma casa, pintar as paredes é fundamental, entretanto esta nem sempre é uma tarefa fácil. É preciso que nos organizemos em todos os aspectos para realizar tal etapa, desde o preço, até mesmo a escolha da cor. Isso porque, a pintura é um dos procedimentos mais trabalhosos entre todos, fazendo com que seja de fundamental importância estarmos atentos para que não ocorra contratempos que irão acarretar em prejuízos e para que o resultado final fique do jeito que nós realmente esperamos. Para isso, nossa equipe elaborou cinco dicas básicas que irão lhe auxiliar a avaliar todo o processo de pintura, para que não seja mais preciso interromper tudo por falta de tempo ou de dinheiro. Faça bom uso e mãos a obra!


1.Avaliação do local 


A primeira dica para economizar na pintura é a avaliação do local. Nunca se esqueça de observar com cautela quais os ambientes de sua casa que realmente precisam ser pintados. Pense bem se você quer pintar todas as paredes e veja se não é possível buscar outras soluções mais criativas que atenderão da mesma maneira as suas necessidades. Se a sua sala, por exemplo, tiver apenas com uma das paredes em mal estado, você poderá intercalar a pintura. Pinte duas das paredes com a nova cor (incluindo a que estiver comprometida) e deixe as outras como estão. Você irá economizar e o espaço ainda ficará com uma atmosfera moderna e arrojada.



 

 


2.Economizar a pintar


Se tratando de pequenas mudanças, você mesmo poderá fazer o serviço de pintura, caso veja que realmente consegue fazer o procedimento com qualidade e sem danificar as paredes. Neste aspecto, você poderá economizar uma boa quantia, pois não será necessário contratar um profissional para executar a tarefa.


 

 


3. Etapas padrão da pintura


Respeitar as etapas da pintura é sempre um ponto chave na redução do custo total. Fique atento as etapas padrão, que sempre são seguidas por profissionais do ramo. Primeiro prepare corretamente a superfície a ser pintada, deixando-a limpa, corrigida e bem selada; depois, dilua bem a tinta em um recipiente adequado; escolha a ferramenta ideal para a aplicação da tinta, de acordo com a superfície; então, por último, espere secar para ver quantas demãos serão necessárias para deixar a cobertura em perfeito estado.


 

 



4. Cálculo dos preços


Outra dica importante para economizar é, logicamente, pesquisar e calcular os preços. Evite comprar uma tinta que for cara demais, mas também cuidado com preços muito baixos. Quando o valor está muito abaixo da média a tinta provavelmente é de má qualidade e, por esta razão, é bem possível que ela não atenda completamente às suas expectativas finais. Se você optar por um produto muito barato, é bem certo que tenha de comprar mais dele e, se havia contratado um profissional para executar o serviço, terá de pagá-lo outra vez para repintar o local. Ainda dentro do aspecto preço, tente conseguir ao menos três orçamentos diferentes para que você possa compará-los minuciosamente. Por fim, é sempre bom alertar para que se evite comprar em excesso. Quando isso ocorre, sempre acaba havendo desperdício.


 

 



5. Avaliar o rendimento das tintas em questão


A última dica é sempre avaliar o rendimento da tinta a ser escolhida. Se não achar esta informação descrita na embalagem, você poderá verificar tirando as medidas da área que irá pintar para comparar a eficácia de sua escolha com a de outro produto. Uma outra forma de avaliar o rendimento é ficando de olho nos preços. Se o valor de uma determinada marca estiver muito abaixo da média, a tinta provavelmente terá um rendimento inferior. Sendo assim, não compre a opção de menor custo, pois na verdade você não estará economizando, já que é bem possível que tenha de comprar mais do que o necessário. É a velha história: o barato acaba saindo caro. De uma forma resumida, busque custo benefício, já que soluções de melhor qualidade possuem um desempenho superior e, consequentemente, rendem bem mais.

 

 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 14:38

Como reciclar calças de ganga velhas

Sexta-feira, 07.06.13

Se as suas calças de ganga favoritas já não estão em condições de as vestir, saiba que não precisa de as deitar fora. Porque não imortalizar a sua peça preferida em outra peça de roupa ou até mesmo num acessório? Só necessita de uma boa dose de imaginação.

De seguida encontrará algumas ideias originais que poderá pôr em prática de forma a reciclar as suas calças de ganga antigas:

Calções

A transformação mais óbvia que pode fazer nas suas calças de ganga antigas é transforma-las nuns calções. Esta transformação é especialmente útil no caso das crianças, que ao estarem em crescimento as suas roupas deixam de servir muito facilmente, no entanto de forma a não deitar fora calças que já não pode vestir, ganha uma nova peça de roupa sem gastar dinheiro.


Do que vai precisar?

Calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha e/ou máquina de costura

Opcional: tachas, renda


 

 


Como fazer?

Marque com a ajuda de uma limha o comprimento que pretende para os seus calções. Podem ser pelo joelho, corsários ou até mais curtos, so depende de si. Depois de marcar o comprimento e tendo atenção para que as duas pernas fiquem com comprimento igual, corte as calças deixando cerca de 1 cm para fazer as bainhas. De seguida coza as bainhas à mão com agulha e linha ou com a máquina de costura e já está adquiriu uma nova peça de roupa.

Dica: pode personalizar os seus calções aplicando tachas nos bolsos de trás, não fazendo bainhas e desfiando a ganga ou aplicando renda nas bainhas.


Saia

Se preferir saias a calções saiba que também pode criar uma a partir das suas calças de ganga antigas.

Do que vai percisar?

Calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha e/ou máquina de costura

Opcional: tecido ou restos de ganga


 

 


 Como fazer?

Se pretender uma saia do comprimento das calças, basta que descosa as costuras interiores das pernas e as una através de restos de ganga ou outro tecido. A saia poderá ser feita com o comprimento que se pretender, basta que para isso corte as pernas das calças à altura que pretender e proceda de igual forma que para uma saia comprida.


Bolsa com bolsos

Se as suas calças se encontram demasiado velhas e gastas poderá aproveitar apenas os bolsos traseiros para fazer uma bolsa de tiracolo.


 

 


Do que vai precisar?

Bolsos traseiros de calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha e/ou máquina de costura

Tecido para as alças

Opcional: Apliques  de renda, flores ou emblemas


Como fazer?

Descosa os bolsos traseiros das suas calças de ganga. Se pretender um acabamento mais perfeito poderá usar um tecido de cetim para forrar o interior dos bolsos. De seguida, una os bolsos cosendo-os em todo o comprimento deixando apenas a parte de cima aberta. Cosa uma alça em tecido ou com restos de ganga e terá a sua mala. Poderá aperfeiçoa-la colocando um embelema ou aplique em forma de flores de forma a dar mais graça à sua mala.


Calças transformadas

Por vezes as calças de ganga até se encontram usáveis, mas já está farto delas. Em vez de as deitar fora, pode transforma-las dando-lhes uma nova cara.

 

Do que vai precisar?

Calças de ganga antigas

Tesoura

Linha e agulha

Botões, renda ou embelemas

 

Como fazer?

Se tiver um conjunto de botões bonitos que não estejam a uso poderá cose-los nas suas calças de forma aleatória ou dando formas de flores ou árvores, por exemplo, basta seguir a sua imaginação. Se gostar de bordar, também poderá fazê-lo nas suas calças antigas criando assim um modelo original e único.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 17:49

Sugestões criativas para reutilizar louça antiga ou sem par

Sábado, 01.06.13

 Decorar é uma agradável empreitada que aproxima as pessoas da sua habitação.

            Através da intervenção em espaços no interior e no exterior, criam-se casas acolhedoras para os proprietários e, consequentemente, para aqueles que as visitam.

            É sempre um orgulho para um anfitrião poder dar a conhecer o seu “cantinho”, provando os seus dotes de decorador. A imaginação é o grande motor de um bom trabalho de decoração, e são as inúmeras possibilidades de criar soluções personalizadas e originais.

            Uma dessas soluções consiste em conseguir utilizar materiais e objetos que não têm utilidade ou que, por algum motivo, perderam a  função que em tempos desempenhavam.


Colocar os seus pratos sem par numa parede!

             As peças de loiça constituem um exemplo muito interessante e versátil destes casos, permitindo criar ambientes simpáticos e completamente personalizados.

            São várias as finalidades que podem adquirir peças de loiça antigas ou sem o par que as acompanhava ou o conjunto a que pertenciam.

            Uma das possibilidades, aliás já muito conhecida, é reunir conjuntos (não necessariamente numerosos, podendo até utilizar-se uma única peça para o efeito) de pratos antigos e dispô-los numa parede. As áreas mais indicadas para o efeito serão a cozinha, a copa, ou a zona de refeições da sala. A disposição das peças ficará ao critério de cada um: alinhada, em filas, em forma circular, geométrica ou aparentemente aleatória… as peças antigas costumam ter um valor especial, por normalmente terem pertencido à família, ou por terem sido adquiridas em antiquários. A vantagem é a de que estão sempre na moda, são sempre atuais e combinam com a grande maioria das tonalidades das tintas de parede; será necessário ter em atenção no caso de a parede ser revestida com papel de parede: a mistura de padrões pode tornar-se confusa e visualmente pesada.

De resto, o uso das peças de loiça pode perfeitamente aplicar-se para a sua função habitual: servir.


 

 


Criar o seu novo conjunto de loiça

  Por uma questão de preservação, pode optar-se por utilizar as peças antigas em ocasiões especiais/festivas.

  No caso de loiças sem par, criar serviços misturando várias peças diferentes é uma solução muito em voga ultimamente, quer no dia-a-dia, como em jantares de amigos e reuniões mais informais. Com uma toalha de cor lisa (branca, bege ou de um colorido garrido), loiças sortidas, (copos, pratos, travessas, saladeiras), guardanapos de fantasia e um arranjo floral simples, cria-se uma mesa simpática, divertida e cuja originalidade poderá até sugerir um bom tema de conversa entre os presentes.

 Para aqueles que temem ousar e preferem optar por soluções mais sóbrias, é uma boa opção adquirir peças neutras (em armazéns e lojas de decoração costumam vender-se ao quilo ou à peça a preços acessíveis), de uma só cor, por exemplo, que combine com aquelas cujos pares se perderam: por exemplo, pires lisos para chávenas com padrão (ou vice-versa), o mesmo pode aplicar-se no caso de peças de serviços de pratos, conjugando pratos de sopa, refeição e sobremesa lisos e com padrão.


 

 


Como reutilizar os seus copos?

 No caso dos copos transparentes, transformá-los em castiçais é uma outra ideia interessante: basta introduzir-lhes areia, pequenos seixos, berlindes decorativos, ou grãos de café (vai também depender do local ao qual serão destinadas as peças), até metade ou dois terços do recipiente e, por fim, incorporar uma vela tea light, como que parcialmenete “enterrada” no preenchimento escolhido para o copo.

 É também uma opção aproveitar alguns recipientes, nomeadamente copos, para organizar as maquilhagens (pincéis, rímel, lápis,…), havendo hoje em dia tintas próprias para pintar vidro, e com as quais podem personalizar-se as peças.

 Haverá outras utilidades: usar canecas como recipientes para canetas e lápis; canecas de refresco como recipientes de talheres de serviço ou, em canecas deste tipo de tamanho médio/pequeno, usá-las como guardanapeira num centro de mesa de uma refeição ao ar livre; copos como pequenas jarras de flores para animar o lavatório da casa-de-banho, a mesa para o pequeno-almoço ou o móvel do hall de entrada; saladeiras como recipientes para colocar chaves, blocos de notas e canetas numa mesa de apoio.


 

 


           

            A imaginação é sem dúvida o limite para criar soluções decorativas e úteis que marcam a diferença e que ajudam a tornar o dia-a-dia mais leve, mesmo com poucos recursos. Ou seja, não há limites!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 17:39

Como diminuir as despesas domésticas

Segunda-feira, 15.04.13

"Não há lugar melhor que o lar; sobretudo para o que não tem dinheiro para se divertir fora." Clarasó, Noel( escritor espanhol)

 

A realidade nem sempre tem que ser tão negra; existindo planeamento, organização e uma grande força de vontade a sua vida poderá ser mais tranquila e desafogada a nível financeiro. É realmente difícil colocar a vida nos eixos quando esta já descarrilou, mas se criar um objetivo e se esforçar para o atingir tudo é possível.


 


Traçar um plano


Para esse tudo acontecer é preciso ter um plano, e a primeira etapa desse plano é sentar-se e fazer contas. Veja quanto ganha - que dinheiro entra efetivamente em casa todos os meses: Esse montante ( seja ele baixo ou alto) é o vosso ponto de partida, o vosso orçamento mensal.

Em seguida, faça um levantamento de quanto gasta ao final do mês com despesas fixas ( água, luz, gás, empréstimos da casa, etc ) e avalie todos os “extras” que poderá ter tido ( o ginásio, o inglês dos miúdos, o cabeleireiro, etc). Seja numa folha com papel e caneta ou usando o computador o objetivo é fazer um balanço e descobrir se o seu saldo é positivo ou não.


    A realidade dos nossos dias, aponta para muitos resultados negativos, mas o objetivo é aumentar aquela data em que o nosso orçamento acaba e temos que recorrer à conta ordenado ou ao cartão de crédito.


Como fazer reduzir as despesas fixas?

Nunca vai conseguir ver-se livre das despesas fixas, nomeadamente as da casa mas poderá seguir alguns conselhos para diminuir as contas da fatura:


-         substituir as lâmpadas por lâmpadas de baixo consumo

-         Não deixar um rasto de luzes acesas pela casa toda;

-         Procurar tarifários que estejam mais de acordo com a sua rotina ( por ex, a tarifa bi-horária )

-         Evitar utilizar água corrente para lavar os dentes, a loiça;

-         Remeter o banho de emersão para o fim de semana e optar por banhos rápidos de chuveiro;


 

 


Como reduzir as suas despesas extra?

Em seguida, procure as despesas dispensáveis: TV, internet e telefone. Dedique meia hora do seu dia a negociar pacotes mais rentáveis para si; por vezes aderiu a tarifários que já não se adequam ao seu dia-a-dia

Uma das despesas mais dolorosas e também a mais necessária é a conta do supermercado. Planeie as idas às compras e de preferência sozinho, pois as crianças tendem a querer as bolachas, os chocolates com os seus personagens preferidos ( o que encarece substancialmente a conta final).

Esteja atento a promoções e procure um equilíbrio entre marcas brancas e outros produtos de marca dos quais não consegue abdicar.

Tente planificar as refeições semanalmente, e assim só irá ao supermercado uma vez (poupa tempo e combustível).

Quando conseguir estabelecer esta rotina, poderá estabelecer um valor real do que irá gastar mensalmente e gerir as contas mediante esse orçamento.

Combustível. A dor de cabeça nacional. Não tem muito por onde fugir mas pode sempre tentar abastecer em bombas low cost ou mesmo aproveitar talões e dias de descontos.


Como poupar e ainda ir de férias?

Em relação a férias, não querendo abdicar das mesmas ( pois todos merecemos o santo descanso), tenha um frasco/lata onde coloca todos os dias as moedas que tem no bolso ou estipule um valor diário (1€/0,50€) , assim quando chegar a altura não terá que despender de todo o seu subsídio de férias ( caso o tenha).

Um detalhe que ajuda imenso a aumentar o orçamento mensal é o deixar de tomar o pequeno almoço fora. Se colocar esses 2€ no tal frasco ...

Mas o fundamental de todo este esforço, é tentar viver o melhor possível com o que se tem cumprindo o orçamento que temos e não fazendo “desvios”. É importante que não se perca em desvarios que não são de todo possíveis.


 

 


 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 17:59

Como gerir o seu orçamento para poupar dinheiro

Segunda-feira, 11.03.13

O que pensa sobre o dinheiro? Trata-se de algo a ser gasto à vontade? Algo a ser economizado, ou  algo a ser ocultado?

 

Seja qual for sua situação ou escolha, é preciso controlar de algum modo os fundos disponíveis para que haja uma distribuição apropriada deles, como por exemplo para a nossa alimentação, roupa, habitação, aquecimento, cuidados médicos, transporte, educação e diversão. Isso argumenta a favor de se esboçar um orçamento.

 

A maioria das pessoas deseja ter uma família feliz, boa saúde, um trabalho gratificante e dinheiro suficiente para viver com conforto não é verdade? Mas, como tudo na vida isso requer equilíbrio e paciência, ter as quatro coisas ao mesmo tempo as vezes parece impossível, mas não é, vamos ver por quê.

 

Viver com equilíbrio e simplificar a vida em sentido material exige determinação e um planejamento minuciosamente estratégico. As seguintes sugestões abaixo têm sido úteis para algumas pessoas. Quem sabe também não sirva para você? Vamos a elas.

 

1 - FAÇA UMA LISTA

O que você pode parar de comprar? De que pode abrir mão? Assinaturas de revistas? Compras pela internet? CDs de música?  Itens desnecessários para o carro? Comprar somente o que é necessário para viver ajuda muito no orçamento familiar, o que você precisa para viver? Comida? Produtos de limpeza? Algumas roupas? Faça a sua lista e tenha equilíbrio nas escolhas.



 

2 - FAÇA UM TESTE

Faça uma auto-analise, por exemplo se você tem receio em simplificar a vida, que tal fazer um teste por seis meses ou um ano? Analise se todo o tempo gasto em busca do dinheiro te deixou mais cansado ou mais feliz. A autodisciplina, isso requer esforço e dedicação faça uma resolução e se apegue a ela! Sinta-se à vontade com relação a isso.


3 - INCLUA SEUS FILHOS NAS CONVERSAS SOBRE SIMPLIFICAR A VIDA

Desta forma, eles provavelmente apoiarão as decisões, os filhos são peças importantes nestas ocasiões, eles nos ajudam a lembrar do que temos que fazer, são nossos parceiros, o lado positivo disso é que não será difícil dizer “não” quando for necessário.


 

 


 

4 - APRENDA MANEIRAS DE ECONOMIZAR

Procure sempre as promoções. Comprar em atacado é economia na certa, cestas básicas também podem ser uma boa saída para economizar. Combine com pessoas da sua família para irem juntos de carro ou de ônibus para o trabalho, ou escola, etc. Use menos os eletrodomésticos, como microondas, computador, aparelhos de som, claro que isso é por tempo determinado. Tudo é para economizar energia. Ar condicionado em tempo de crise? Não seria aconselhável. Um ventilador potente é mais ideal. Pegue emprestado livros na biblioteca em vez de comprá-los. Ou compre livros usados.

 

5 - FAÇA UM BOM ORÇAMENTO 

Existe uma forma bem interessante de fazer isso: Tente pegar alguns envelopes e marcá-los de acordo com cada categoria de despesas. Um dos envelopes,  por exemplo, poderia ser marcado “Lanche”, ao passo que outro poderia ser marcado para alguma compra futura, como “Blusa Nova”, ou “Celular Novo”. Assim que receber seu salário, divida o dinheiro entre os envelopes, de acordo com os gastos previstos. Quando surgirem despesas, pague-as dos respectivos envelopes.

 

6 – CAUTELA COM O CARTÃO DE CRÉDITO 

“Compre agora, pague depois!” ou “Parcela em 10x sem juros” isso as vezes é um “perigo”. O crédito usado de forma impulsiva pode tornar-se aquilo que uma pessoa mais teme a "escravidão", portanto equilíbrio nas compras. Análise as épocas do ano, tipo Natal, Carnaval, São João, são as épocas em que se gasta mais, portanto tome cuidado.


 

 


 

APRENDA A UTILIZAR O DINHEIRO DE FORMA SÁBIA E PRUDENTEMENTE E NÃO TENHA SURPRESAS NO FINAL DO MÊS.


Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 18:07

Dicas criativas para esticar o ordenado

Terça-feira, 12.02.13

Muitos de nós não sabemos como esticar o ordenado até o fim do mês. Normalmente, isso acontece com a maioria das pessoas em diversos lares, com diferentes classes sociais. Ninguém está de fora quando o assunto é dinheiro, por isso, deve-se levar em conta as melhores formas de economizar seja na alimentação, na escola dos filhos, nas despesas diárias, e principalmente, naquilo que é desnecessário. É importante você saber utilizar da melhor maneira possível o seu ordenado, pois, senão, ficará sempre no vermelho antes mesmo de chegar o próximo mês. E nós, sabemos que isso não é o que desejas. Mas, fique certo que não existe fórmula mágica, mas apenas alguns hábitos simples, saiba mais.


E o que fazer?

A primeira coisa que você deverá fazer antes mesmo de utilizar essas 5 dicas a seguir é reconhecer que precisa de uma mudança, de algo que vai lhe fazer bem para que transforme essa situação. Se as pessoas não reconhecerem e tiverem o desejo e a motivação de transformar essa situação, nunca poderão esticar esse ordenado que é essencial em suas vidas. Até porque, ficar sem grana é muito constrangedor e difícil. Por isso, conheça essas 5 dicas para esticar o ordenado até o fim do mês e livre-se dos indesejáveis problemas da falta de dinheiro. Ninguém gosta de ficar sem ele, não é verdade? Confira agora mesmo, veja mais a seguir.


 

 



5 Dicas Para Esticar Seu Ordenado Até O Fim Do Mês


1 - Antes de receber seu ordenado, verifique os gastos e o quanto você ganhará nesse mês. Se for um valor fixo que irás ganhar, centralize naqueles gastos que são fixos também e tenha cuidado com os gastos variáveis. Gastos variáveis são aqueles que ocorrerão apenas em um determinado mês e não em todos os meses. Se possível, faça uma lista colocando deum lado os seus ganhos e do outro lado, os seus gastos;


2 - Um dos maiores gastos que uma pessoa tem são os fins de semana e com alimentação. É verdade, você gasta mais com comidas do que com qualquer outra coisa. Pode perceber os gastos que você tem sempre que vai ao restaurante, leva a família e tudo. Então, você precisa organizar as saídas do fim de semana sempre procurando lugares com promoções, descontos, racha com amigos. Também evitar de comprar comidas, vamos dizer precisamente, besteirinhas como bolachas, biscoitos quando se está com fome, principalmente, quando vai ao supermercado. É fatal como compramos alimentos desnecessários quando se está com fome!. Evite também andar com cartão de crédito, isso compromete de verdade o orçamento de qualquer pessoa;


3 - Planejar é a melhor saída. Se sabe que não vai ter condições de pagar ou que irá comprometer seu orçamento, então, a melhor solução é não comprar. Isso mesmo, não compre! Planeje-se anotando em um papel o que você precisa comprar, exclua as coisas desnessárias, aquelas em que você não precisa. Faça isso e você terá no fim do mês a cor azul em sua carteira;


4 - Faça compras à vista. Essa é sem dúvida, uma das melhores formas de esticar o orçamento. Cartão de crédito, cheques, fiados, não funciona e sempre prejudica seu orçamento no fim do mês. Até porque tem os juros e juros sobre juros. Então, compre tudo à vista;


5 - Elimine as despesas ou as reduza. As contas com água, luz e telefone podem ser reduzidas, pois, é conforme o consumo. Então, sempre é bom utilizar maneiras de reduzir o consumo, que consequentemente, reduz os seus valores mensais. Com isso, poderá ter um dinheiro a mais até o fim do mês.



Com todas essas dicas, com certeza, você terá muito mais sucesso com seu dinheiro até o fim do mês. São hábitos simples, mas que farão grande diferença no seu orçamento. E você ainda vai curtir melhor o seu dinheiro e fazer bom uso dele com muito mais qualidade. Faça valer seu ordenado com todas as práticas acima listados.

Sucesso a você!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 14:42

Como poupar dinheiro nos livros escolares

Quinta-feira, 02.02.12

A importância dos livros

Os livros são uma peça chave no ensino de crianças, adolescentes e adultos. É a partir deles que o estudante aprende sobre a realidade que o cerca, e tem a oportunidade de conhecer profundamente sobre diferentes assuntos, que contribuem para o seu desenvolvimento moral e intelectual.

Por estes motivos eles marcam presença fundamental nas listas de materiais enviadas por muitas instituições de ensino, deixando bem claro que os professores não abrem mão desta maravilhosa ferramenta de aprendizagem.

Quando chega a hora de verificar esta lista, muitos se deparam com uma sequência de títulos que aumentam, em peso, os gastos de pais e estudantes. Seja nos primeiros anos do ensino fundamental ou nos últimos anos da faculdade, diversas matérias exigem a leitura, aumentando os custos da educação dos filhos.

Para quem deseja economizar, é importante ressaltar que existe uma enorme quantidade de livrarias no mercado, possibilitando a realização de pesquisas com o intuito de reduzir os gastos finais.


 

 


Como poupar na compra de livros: boas dicas!

Diversas ações podem ser pre- estipuladas para que isso seja possível. Deixar as crianças em casa, levar uma calculadora, optar por modelos mais simples são apenas alguns fatores que podem alterar o orçamento a seu favor.


Confira algumas dicas para ir às compras sem deixar de fazer economia:


-Antes de se dirigir às livrarias, procure primeiramente pelos sebos (alfarrabistas) de sua cidade. É possível encontrar exemplares em excelente estado de conservação e por um preço bem menor quando comparados aos livros novos. Se o seu filho se recusar a utilizar um livro de segunda mão, explique que se trata do mesmo livro, e que ele ainda estará ajudando o meio ambiente com o aproveitamento.


-Faça uma lista das livrarias existentes em sua cidade e pesquise pelo número do telefone de cada uma delas. Ligue e peça um orçamento para fazer uma comparação de preços.


-Verifique a possibilidade de se comprar pela internet. Muitos sites realizam automaticamente uma comparação de preços buscando diversas lojas virtuais. Procure por livrarias que ofereçam o serviço de frete grátis.


-Se você possui mais de um filho, procure por livrarias que ofereçam promoções especiais para a compra de muitos livros. Atualmente, é bastante utilizado no mercado o conceito de desconto progressivo, onde quanto mais se compra, mais descontos se recebe. Caso você não encontre este tipo de promoção, proponha ao gerente este estilo de oferta.


-Se a compra for parcelada, verifique as taxas de juros antes de efetuar a compra. Juros exorbitantes estão fora de cogitação.


-Se você for comprar à vista, aproveite o poder de compra do dinheiro vivo e peça um bom desconto.

 

-Procure por títulos de edições antigas que costumam ser bem mais baratos do que os de edições recentes.


- Se a compra for de livros universitários, procure primeiramente na internet. Você poderá encontrar pessoas dispostas a trocar ou vender livros por ótimos preços.


-Se possível, abra mão de capas duras ou requintadas, elas aumentam o preço final do produto.


-Livros bem conservadas podem ser aproveitadas por outras gerações da família. Ligue para primos que estudem no mesmo colégio e verifique esta possibilidade.


 

 



Para melhores resultados ,não se esqueça de manter a atenção e organização na hora das compras. Verificar corretamente os preços, manter uma lista dentro da bolsa e separar com antecedência o dinheiro a ser gasto, são atitudes que podem tornar a economia algo mais fácil de ser alcançado.

É interessante sempre consultar os gerentes antes de finalizar as compras, na tentativa de reduzir ao máximo o valor dos produtos. Não tenha medo de conversar, esclarecer e lembre-se que o seu dinheiro é fruto de seu esforço pessoal e não deve ser esbanjado.

Boas compras!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por vivamaissaudavel às 17:28







subscrever feeds